GOD'S HAND IN MY LIFE

 

A MÃO DE DEUS EM MINHA VIDA

Em 1987, eu vivia um confronto muito grande entre eu e o mundo. Meus lindos sonhos de sucesso estavam manchados por sombras escuras e ameaçadoras.

Crise no emprego, solidão e tédio roubavam o meu sentimento de realização como uma psicóloga formada. Então, no final da primavera de 1986 eu fui mudando de estado em estado Norte Americano para conseguir um doutorado em psicologia e para pegar um emprego em que eu trabalhasse com pacientes que tem moderado retardo mental num centro de desenvolvimento.

Como se estivesse jogando ossos a um cachorro, o diretor da unidade deixava-me com as sobras que ninguém queria quando eu disse que queria trabalhar. "Pegue ou vá embora", ela disse: "Eu sou a sua nova chefe!"

"Retardados profundamente graves! Numa unidade fechada!" Eu queria fugir em desespero.

Estas almas preciosas estavam presas em corpos contorcidos com cabeças de vento, incapacitados de comunicar suas necessidades mais básicas. O cheiro de urina penetrava uma grande sala que servia de prisão para mais de vinte destes pacientes. No meio de sons altos e ininteligíveis de residentes, eu era responsável pela tarefa monumental de escrever programas para a habilitação destes pacientes.

Trabalhar num hospital para doentes mentais por anos me ensinou a ficar hiper vigilante quando lido com pacientes instáveis. Claramente alguns destes pacientes tinham diagnósticos mistos --- como o fugitivo que havia assaltado um número de membros do "staff" médico para conseguir uma guimba de cigarro. Muitos eram claramente autistas. Outros eram como crianças de um ou dois meses, para os quais cada necessidade deve ser antecipada e preenchida. Uma mulher jovem crivada de doenças venéreas se masturbava todos os dias toda hora.

Nos meses seguintes, eu escrevi programas para o tratamento do comportamento e cuidados com estes pacientes que foram bastante ignorados. Estes programas eram como palavras ocas em páginas vazias enchendo pilhas de lixo burocrático.

Parecia que a escória da sociedade era contratada para preencher empregos de salário mínimo; e quando não tinha ninguém olhando, eles se aproveitavam dizendo que tinham motivos para ter orgias com aqueles que não tinham como se defender.

Este emprego foi como uma lâmina de barbear que cortava fatias de cicatrizes profundas dentro de uma alma já sangrando. Ocasionalmente, um furacão me sacudia por dentro. Isto ameaçava invadir os limites das minhas relações interpessoais. Isto começou nos meus recantos mais sombrios e espremeu o meu coração até explodir. Meus pensamentos corriam soltos, em cascata, um atrás do outro em rápida seqüência. Maremotos de árida emoção banhavam meu seco senso de si mesma.

Oh, escuridão! Que escuridão! Como eu temi a escuridão em mim e em volta de mim. Eu era como a gazela perseguida por um leão nas sombras. Eu sabia da presença do leão. Eu podia sentir o cheiro do leão. Eu podia sentir as batidas do coração do leão. Eu tive medo de tocar o leão e ser consumida pelo seu bafo quente.

"Corra! Corra! Corra!" Sim, eu deveria correr do leão na escuridão.

Eu chorava na sala onde eu ficava de dia e meu pranto escorria no chão. Eu esperava que ninguém me visse. Ao menos ninguém me perguntava nada sobre isto. De noite, sozinha, eu tinha ainda mais medo. Pois eu entrava neste estado de espírito tarde da noite e continuava assim o restante da noite. Eu gastava as minhas últimas energias e quando o meu medo de perder a cabeça melhorava, eu corria para o meu apartamento e tomava outra dose de uísque.

Uísque, oh uísque! Apenas mais uma dose de uísque. Um amigo que vem quando necessitamos é um amigo de verdade. Doce solidão! Isto me aliviava a solidão. Banhava os meus medos. Mantinha o leão distraído. O uísque tampava os buracos como maquiagem em minha alma, como dedos em buracos de uma represa por explodir.

Por anos o uísque tinha sido parte de minha diversão e alegria. Eu festejava com aqueles que amavam o uísque. Então eu comecei a beber sozinha. Eu passava a não gostar de mim mesma quando eu bebia muito, o que era bastante freqüente. Beber até esquecer acabou com minha auto-estima. Acabou com meu autocontrole. Jack Daniels e eu dançávamos uma dança de amor e ódio. Como amantes apaixonados, nós procurávamos um ao outro adequadamente.

Por cinco meses eu me angustiei no profundo abismo das almas aprisionadas. Eu pensei ter visto um raio de luz quando um centro de doenças mentais tinha me oferecido trabalho de aconselhar crianças. Por muitos anos, as crianças tinham sido o amor da minha vida.

Eu apreciava sua espontaneidade de pensamento, a sinceridade de suas emoções. Seus sorrisos doces e seus lindos corações podem curar; eles podem dar vida aos desertos de qualquer mente.

Eu gostaria de poder dizer que tudo foi gloriosamente bem com este emprego. Mas infelizmente eu percebi que havia algo de errado desde o primeiro dia. Terapeutas saíam deste emprego um atrás do outro. Quando um conselheiro pastoral foi demitido, eu senti profunda tristeza.

Eu não tinha muito tempo para me adaptar ao que estava ocorrendo à minha volta. Eu estava muito ocupada com a tarefa de aconselhamento no centro e começando a primeira pré-escola do estado para crianças emocionalmente perturbadas. Com seis meses, havia uma lista de matrículas. Eu fui a guetos procurando por crianças eu liderava o projeto e dirigia tudo. Minhas responsabilidades haviam crescido tanto que transbordavam.

Quando o meu supervisor imediato deixou o emprego, metade da responsabilidade do trabalho dele sobrou para mim. Eu tinha pouquíssimo tempo precioso indo para a escola duas noites por semana e ficava na espera uma noite por semana, em alerta, em casa, para o que ocorresse no centro.

A pouca energia que eu tinha estava sendo sugada de todos os lados. O futuro do meu filho me preocupava constantemente. A sua decisão de viver com o pai neste dezembro de 1985 machucou meu coração. Eu assistia sem poder ajudar uma criança bem dotada falhar no colégio, ser um destaque entre a multidão e cair nas garras da maconha e seu harém.

Outro conselheiro foi contratado para aliviar a minha carga de trabalho. Quando a diretora me chamou para uma revisão em seis meses, ela me avisou que esta pessoa nunca apareceu. Ela deixou claro que eu não conseguiria nenhum alívio num futuro visível.

Algo se partiu em mim por causa das suas palavras secas. Quase chorando, eu me recusei a fazer o trabalho de três pessoas por mais tempo. Eu lhe disse que cumpriria as tarefas de apenas um emprego e somente um emprego.

No dia seguinte ela entrou na pré-escola cedo de manhã. Eu nunca consegui esquecer o jeito frio e indiferente como ela me entregou a carta de demissão.

Meu sentimento imediato de desespero foi prontamente substituído por pura repugnância. Ela nunca mais veria a minha tristeza de novo. Eu trabalhei tão duro, criei uma grande maneira de ganhar dinheiro e fui posta de lado como um sapato usado. Esta demissão foi a primeira e a última para mim.

As luzes escurecidas do meu espírito clamavam por Jesus, para ouvir os gritos de uma pessoa tão perdida. Eu havia procurado espiritualmente por meses, indo de igreja a igreja, mas nunca conseguindo me encaixar. De repente, a solidão da minha situação foi a mais longa noite que eu nunca havia conhecido. Minha alma estava angustiada em meio de tanta secura espiritual.

"Por favor, por favor, ouça as minhas preces. Por favor, por favor, ajude-me", eu implorava a Jesus. "Eu estou sozinha e destituída sem dinheiro, sem energia, sem vida." Pensamentos obscuros de suicídio corriam na minha mente. Jack Daniels e o leão estavam ganhando.

No meio de minha solidão, meu coração pulava na idéia de encontrar um homem para me amar. Eu desejara isto por todos os dias da minha vida, mas o inconsciente prevalecia. Eu sempre me ligava a homens que me maltratavam e abusavam de mim. Então eu os rejeitava. Eu havia me casado e me divorciado por quatro vezes quando chegara aos 31 anos e estava solteira agora por sete anos.

Nos relacionamentos, eu estava aliviando problemas não solucionados da minha infância. Meu pai que tinha esquizofrenia favorecia a minha irmã e parecia não gostar de mim e me rejeitava. Eu o seguia em toda nossa casa de meeiro enquanto ele escondia pedras e falava consigo mesmo. Eu tentava me sentar no seu colo, mas ele me repelia repetidamente e dizia em tom de voz maldoso "Vá embora!"

Dentro de mim eu tinha medo de rejeição de todos os homens. Este sentimento de perda me deixava longe de receber e dar um amor incondicional. Esta rejeição estava sempre à frente da minha mente e nos meus mais solitários momentos isto vinha como que correndo atrás de mim como um gigante com voz de trovão caminhando em minhas emoções.

Tarde da noite quando eu implorava a Jesus na companhia de Jack Daniels, um calor gentil penetrou no meu quarto. Uma grande paz entrou e me acolheu como uma criança. Uma paz que eu nunca havia sentido antes. Um radiante brilho banhava uma esquina do meu quarto.

"Filha, Eu sou Jesus. Venha e sente-se no meu colo. Eu nunca te rejeitarei e eu curarei tuas feridas provocadas pelo teu pai."

Eu fui consumida por este brilho. Então, de repente Jesus me pegou com seu Espírito Santo e eu sentei em Seu colo. Eu não sei por quanto tempo isto durou. Só o que eu sei é que a partir deste dia eu não tive mais nenhum mau sentimento em relação ao meu pai. Naquela noite, Jesus havia curado o meu coração.

Você deve estar provavelmente perguntando: "Isto não era um pouco estranho para você?"

Absolutamente. Mas eu sabia que isto era real. Eu brilhei com o amor desta experiência por dias. Isto me deu esperança quando eu não tinha nenhuma, me trouxe alegria quando eu conhecia apenas a tristeza. Isto me mostrou que Jesus é real e que Ele ouve as preces dos mais perdidos e desamparados. Jesus me deu vida e vontade de viver.

Tudo ao meu redor estava tão vazio de tantas maneiras apesar da experiência. Eu não tinha dinheiro nem emprego, mas eu tive algo que o dinheiro não pode comprar: um milagre.

Quando eu contei à minha vizinha alguns dias depois que eu estava com problemas para dormir, ela me disse: "Tente L-triptofano."

Eu comprei isto e tomei seis cápsulas por dia por duas semanas. Ao final da segunda semana, o leão foi empurrado para a escuridão para nunca mais retornar.

Alguns anos depois, eu aprendi que eu estava tendo ataques de pânico causados por um desequilíbrio hormonal provocado por uma histerectomia no final de 1985. Meu sistema imunológico também estava fraco por causa de uma doença auto-imune.

Numa tarde de domingo no final de março de 1987, provavelmente duas semanas depois de ter sido demitida, outra experiência espiritual me atingiu totalmente de surpresa e deixou minha alma perturbada por anos. Você pode pensar que esta experiência era da mente de uma bêbada com "os espíritos" ou de alguém delirando numa viagem de LSD. Mas eu estava sóbria como uma "rata de igreja", como o dito popular.

Eu deitava no meu sofá para uma soneca de domingo de tarde, preguiçosamente olhando para a vista da janela e focalizando nas nuvens que rolavam com o vento lá longe em cima. Se eu estava tendo uma visão ou se era um sonho, eu não posso dizer. Mas o que se seguiu mudou a minha vida para sempre.

De repente eu estava sozinha em um outro lugar. Não era um lugar para uma festa ou um piquenique. Não havia outras pessoas, salas ou paisagens. À minha direita, eu podia entrar numa porta negra muito ornada, floreada. Ou, eu poderia ir para a esquerda e subir numa escada branca, que desaparecia atrás de uma parede branca.

Eu fiquei ali por uns instantes e fiquei pensando na minha escolha; primeiro uma escolha, depois a outra. Não havia dúvidas de que eu teria de fazer apenas uma escolha.

O brilho da miríade de ornamentos presos à porta floreada chamou-me a atenção. O que poderia possuir tal porta preta decorada em estilo pomposo? Em breve eu deveria fazer uma escolha. Eu entraria pela porta floreada. Com certeza aquela porta daria para ruas dorminhocas e cheias de brisa, repleta de luxuosas montanhas.

Eu fui para frente, puxei a maçaneta da porta e isto se moveu prontamente na minha direção. Seria isto um truque? Se era, quem o havia feito? Pois a porta, que era tão sedutora, se abria numa parede escura.

Confusa eu me virei para a escada, certa de que aquela também me traria decepção. Ainda assim, a curiosidade estava dentro de mim. Eu pisei no degrau da escada e comecei a simplesmente subir. A subida era bastante difícil. Parecia que meus pés pesavam como bolas de chumbo.

Depois de um breve instante, eu olhei para baixo com espanto de ver que o começo da escada já não era mais visível. Dirigida pela curiosidade, eu estava determinada a prosseguir. Pressentimentos, os quais seriam normais, não tinham lugar em mim. Meus pés eram um piloto automático me carregando sempre para cima.

Com o tempo, a exagerada sensação de peso começou a desaparecer. A força da gravidade estava diminuindo. Meu corpo estava se tornando cada vez mais leve enquanto os meus pés deslizavam de degrau em degrau. Sentimentos de alegria e paz interior me abraçavam.

Eu não sei por quanto tempo eu estava subindo quando eu olhei para baixo para ver que minhas roupas faltavam. Em seu lugar, estava o mais lindo, deslizante, balançante manto de luz dourada e branca. Quando o brilho radiante do manto atingiu meus olhos, surpresa e altivez de repente me tomaram.

Então eu vi uma luz branca e dourada linda e radiante filtrando para baixo da escada. Eu não pude ver sua origem, mas eu estava consciente de que o poder da luz estava rapidamente me puxando através da escada. Meus pés não mais tocavam os degraus, enquanto esta luz me puxava diretamente por sobre as escadas. No fim de alguns segundos eu cheguei ao fim da escada.

Com um delicado manto fluindo gentilmente através da luz, eu cheguei ao final da escada na frente de uma série de portas duplas. As portas abriam num enorme oceano de luz branca dourada. Sua vastidão e atração eram consumidoras. A luz criou uma melodia pura de incomparável esplendor que me preencheu de alegria e paz. Era a sinfonia celeste alcançando notas em tons altos na minha alma.

Eu queria pisar através das portas duplas e dentro do mar de luz gloriosa. Parecia que eu havia encontrado a minha casa por fim.

Para minha grande surpresa, a Luz me disse: "Você vai ter que voltar."

De repente, eu estava de volta no meu apartamento. Eu me senti como uma criança que perdeu um dos pais ou um amigo querido. O vazio à minha volta estava ampliado em muito e eu chorava incontrolavelmente. Eu senti o arrependimento da minha vida fora de controle num mundo frio e sem carinho.

"Como pôde Deus ser tão cruel para me tentar de tal forma? Por que Ele me traria para perto de casa só para me mandar de volta? Por que Ele me permitiu ver tanta beleza apenas para tirar isto em um segundo?"

Eu não tinha respostas, apenas perguntas. O que quer que fosse, eu nunca seria a mesma pessoa.

Se as outras experiências mundanas tivessem parado a jornada para cima da escada, com certeza o tempo se modificaria para eu ver um pouco daquela beleza. Mas a jornada na escada estava apenas começando. A luz havia me modificado para sempre. Experiências sobrenaturais começaram a encher a minha mente. Com flashes de visão, eu podia ver momentaneamente campos energéticos em volta do corpo dos outros. Freqüentemente eu podia ver os campos energéticos divididos em várias camadas. Outras vezes, eu podia ver doença e aborrecimento nos outros como bolhas escuras. Eu via as linhas elétricas dançarem com as correntes elétricas. Campos de força em volta de tomadas, computadores ou fornos de microondas retinham a minha atenção. Espíritos dos mortos e entidades presumidamente em missões sombrias pintavam meu mundo. Mas, o mais bonito e que trazia mais humildade de tudo eram os muitos anjos guardiões, vestidos em mantos brancos com capuzes e olhos como fogo.

Por conseguir naturalmente discernir entidades demoníacas e espíritos desencarnados – espíritos de pessoas que morreram que permanecem na superfície da Terra ao invés de estarem no Céu, onde eles deveriam estar – minha grande pergunta era: "O que eu posso fazer por eles?"

Eu não consigo explicar como era assustador e ao mesmo tempo fascinante ver pessoas indo e vindo obsediadas por estas entidades demoníacas. Algumas vezes eu entrava num restaurante e assistia em puro horror, hordas indo e vindo atrás de cerveja, às vezes estes grupos tinham dez, quinze, vinte pessoas ou mais. "O que estariam fazendo estas pessoas para que elas estivessem literalmente imersas no meio destes obsessores?"

O que era horrível para mim é que eu não tinha controle sobre o meu ato de "ver". De repente, meus olhos haviam se aberto para um outro mundo e eu estava cheia com os meus próprios problemas. Parecia que eu não tinha mais lugar para outros problemas.

Há um dito popular que diz que Deus não pode te dar o que você não consegue agüentar. Mas neste sentido, eu claramente desafiei Deus. Eu não podia agüentar todos estes problemas!

O pavor do que estava acontecendo me aprisionou. Eu corri atrás de mais Jack Daniels por puro terror. Meus sentimentos de solidão eram complementados pelas reações dos outros. Minha mãe disse, "Você está parecendo o seu pai." Outros me cortavam no meio da conversa ou desligavam o telefone quando eu começava a falar sobre estas experiências. Eles pensavam que eu estava louca. Mesmo um querido psicologista que eu conhecia por anos disse que eu estava esquizofrênica. Eu consultei várias igrejas e falei com vários pastores. Eles diziam que não estava acontecendo tudo o que eu dizia ou que eu estava apenas fugindo.

Deus começou por me dar algo mais, a habilidade sobrenatural de saber o quê acontece no coração das pessoas, especialmente os assuntos espirituais. Quando eu estive visitando uma igreja e falava com um pastor, eu conseguia enxergar a verdadeira ligação dele com Deus. O que eu vi começou a me repelir das igrejas. Se um pastor não podia explicar o que havia acontecido comigo, eu sabia que não pertencia a esta igreja. Eu raciocinava que se eles tivessem uma ligação mais próxima com Deus, eles saberiam que Deus havia me dado algo especial.

Eu comecei a ler todos os livros espirituais que eu podia ler. Gastei milhares de dólares em livros por cinco ou seis anos. Eu lia livros Cristãos, Budistas, New Age, de Nativos Americanos e qualquer outro livro sobre a jornada espiritual de outras pessoas. Se parecia que eu aprenderia algo, eu o lia. O grande benefício spiritual que eu consegui com esta experiência de estudo e leitura foi um senso refinado de discernimento. Deus falava subitamente comigo enquanto eu lia e de repente eu sabia da verdade do que eu estava lendo. Eu precisei deste aprendizado de discernimento para dizer prontamente o que era verdade ou mentira, ser capaz de dizer se Deus estava falando, se o diabo estava falando ou se o autor estava fingindo ser Deus.

Muitos escrevem como se fosse Deus falando. O dom de saber quem está falando a verdade pode somente vir de Deus através do seu Espírito Santo. Este é o dom do discernimento em ação e é um teste de perseverança e fé.

Com toda a minha alma, eu queria ser curada do meu terrível vício do álcool. Então eu entrei num centro de reabilitação na Primavera de 1989. Com muito poucos dias de freqüência neste centro, eu percebi que um espírito lindo estava preso naquele lugar. Da minha cama, eu a assistia dia e noite, pois ela preferia uma sala perto da minha. Ela era uma jovem mulher, vestida como se estivesse nos anos sessenta. Eu via imagens dela rodando em volta num barco grande com um homem mais velho. Eu não vi o lago tomar sua vida, mas tinha uma sensação muito forte de que ela havia se afogado neste lago.

As duas que estavam naquela sala sabiam que o espírito lhes fazia companhia. No meio da noite, estas mulheres assustadas corriam com freqüência dentro do salão, chorando.

Quando todos estavam no andar de baixo para as aulas da manhã, este espírito perturbado podia ser ouvido vagando pelos salões acima. Eu percebia outros olhando em volta da enorme mesa, encarando.

Uma noite, eu chamei o Senhor com todas as minhas forças. "Senhor, eu estou profundamente triste pelos apuros desta alma perdida. Por favor, eu Te imploro. Mande seus lindos anjos para guiá-la de volta para o Senhor."

Os anjos da guarda vieram, um par vestido em bonitos mantos brancos com capuzes. Naquela noite de primavera em 1989 uma linda alma foi carregada para casa. Glória a Deus!

Quando eu saí da reabilitação, eu não tinha dinheiro nem aonde ir. Meu filho, que fora morar com o pai quando tinha 13 anos, havia se tornado um viciado em drogas típico. Na idade de dezesseis anos, ele voltou a morar comigo, profundamente incorrigível. Eu pergunto a você, "Como pode uma alcoólica na ativa conseguir ajudar um viciado em drogas na ativa?" Ele se afastava de todo mundo que tentava ajudá-lo e machucava os outros numa missão de resgate na idade de dezessete anos.

Depois da reabilitação, uma mulher negra chamada Easter me aceitou em casa. Ela tinha uma casa a meio caminho do local mais perigoso de Little Rock, Arizona. Seis de sete de nós dividíamos duas salas pequenas e pagávamos vinte e cinco dólares por semana por comida e pensão. Eu trabalhava em empregos ruins e rezava e rezava. Cada dia era uma lembrança de que eu não queria voltar atrás. Eu havia sido presa duas vezes por abuso de álcool e havia vivido como sem teto. Eu trabalhei num bar conseguindo apenas dinheiro suficiente para pagar o dia a dia e viver num motel maltrapilho, tinha de pechinchar por comida e Jack Daniels. Estas memórias ainda me trazem lágrimas nos olhos.

Álcool e drogas rapidamente roubam a vida dos ingênuos. Vícios são doenças difíceis e fatais. Pessoas com vícios são obsediadas dia após dia por um número enorme de entidades demoníacas. Estas entidades se penduram na pessoa e incitam a pessoa a beber e se drogar. Isto alimenta as suas obsessões, o que estimula os vícios.

Após meses, eu me mudei desta casa a meio caminho. Deus me levou para um lugar no interior do país. O aluguel era uma bênção por somente U$100,00 por mês. Meu filho veio morar em casa, mas isto era muito duro, pois ele ainda estava viciado.

Uma tarde ele veio para casa, do trabalho atordoado. Eu disse, "Filho, você injetou alguma coisa hoje. Eu sei".

"Não mãe, eu juro que não".

Ainda assim, por trás dos olhos selvagens e comportamento errático estava outra verdade. Em suas costas estava um espírito desencarnado. Eu o vi incitando meu filho em usar drogas injetáveis. Um pouco de tempo e algumas verificações confirmaram que eu estava certa.

Espíritos desencarnados são espíritos de pessoas que morreram, mas que se recusam a passar para o outro lado. Eles estão perdidos e confusos, amando algum aspecto de suas vidas materiais de tal maneira que eles se recusam a deixá-las. A maioria das pessoas não sabe que mesmo na morte ou na ausência do corpo material, nós fazemos escolhas.

Um pouco depois de ter me mudado para a casa móvel, eu fiquei alerta para a presença de um outro espírito. De noite, eu podia ouvir este andando e fazendo barulho com as panelas e potes. Com o tempo este espírito começou a pegar coisas. Ele particularmente gostava dos cigarros do meu filho. Um dia enquanto eu estava limpando a cozinha, eu percebi que ele havia roubado um copo de água que eu estava bebendo alguns segundos antes.

Eu me sentei e rezei uma prece intensa do fundo da minha alma e eu pude ver o espírito de um velho com cabelos grisalhos. Eu implorei a Jesus que enviasse Seus lindos anjos para levar esta alma de volta para Ele. Imediatamente eu vi dois anjos guardiões vestidos com brancos capuzes em minha direção. Um tinha um manto branco em suas mãos e o estava oferecendo a mim.
"Pegue isto e use," o anjo disse. "É um presente de Deus para você."

"Então eu peguei o manto branco e vesti, e tenho o vestido desde então. Eu assisti enquanto os anjos levavam esta pobre alma, um a cada lado dele e eles desapareceram da minha vista.

Quanto ao meu filho, você ficaria feliz de saber que ele foi para a reabilitação duas vezes e tem estado sóbrio por três anos. Existem ainda milhares de quilômetros de distância entre nós. Espiritualmente, ele está lutando. Ele me culpa por suas falhas e se recusa a me perdoar. Eu carrego esta imensa tristeza. Pois eu o amo muito.

No outono de 1990, eu estava me sentindo realmente só. Eu disse a Deus que se Ele queria que eu fosse solteira para o resto da vida, tudo bem. Mais do que tudo, eu queria fazer a vontade de Deus.

Eu estive solteira por onze anos desde o último casamento. Eu esperava por um companheiro, mas não estava seriamente procurando, pois o meu medo de falhar era muito grande. Uma noite eu coloquei para fora toda a tristeza para Jesus e compartilhei os meus machucados profundos, as minhas velhas feridas. Uma grande paz de repente tomou conta de mim. Se Ele não tivesse ninguém para mim, eu continuaria em paz sabendo que esta era a Sua vontade. Acima de tudo, eu queria fazer a vontade de Deus.

Cerca de um mês depois desta conversa com Jesus, eu tive um sonho. Neste sonho, um homem vinha e me pegava pelo braço. Nós andamos através de um caminho de cristal, inundada de cima a baixo com uma luz branca e pura. No final do caminho, nós fomos parar dentro desta energia branca radiante e então desaparecemos.

"Filho," eu disse, "Deus está me mandando alguém."

Em alguns dias uma carta chegou em minha casa, que dizia, "Bem vinda ao Clube Feliz Aniversário." Isto com certeza parecia um golpe, mas havia a lista de vários nomes, endereços e telefones daqueles envolvidos. Esta carta estava atiçando-me a responder.

Dennis Newkirk de Little Rock estava na lista. Depois de um mês mais ou menos, eu liguei para ele para ver se isto era um golpe. Nós nos falamos por telefone por várias semanas e finalmente ele nos chamou para jantar. Na hora eu soube que este era o homem do sonho, ele era baixinho, com cabelos pretos e tinha um espírito muito doce.

Enquanto as semanas passavam, eu sabia que estava me apaixonando por este homem e comecei a apreciar cada momento com ele. Ele estava profundamente em débito com um divórcio recente. Ele não tinha nada, eu não tinha nada.

Meu sistema imune estava fraco desde 1981, quando eu tive febre, artrite, eritemas, desmaios e uma tendência a pegar doenças muito facilmente. Doenças bizarras me atormentavam por anos e eu não tinha idéia da causa. Eu não sabia da gravidade da minha doença quando nos casamos. Não havia um nome para defini-la. Mas o tempo me mostraria que o meu marido era um homem honesto de confiança.

Após nos conhecermos por outros quatro meses, nós nos casamos. Isto foi há quase sete anos atrás. Nós ainda moramos no mesmo lugar e temos de controlar nossos gastos, cada centavo. Eu ainda não pude trabalhar por causa da falha do meu sistema imune devido a implantes de silicone que recebi em 1973.

Eu nunca pude imaginar o quanto os médicos, as instituições médicas, as pesquisas universitárias e a imprensa pudessem mentir e encobrir em grande escala algo que está matando mais mulheres a cada dia. A decisão de fazer estes implantes para esconder seios achatados tem sido outra cruz para carregar. Como o Rei Salomão diria, "vaidade".

Quando eu percebi que estes implantes poderiam causar a doença, eu me livrei deles. Mas os problemas apenas se intensificaram. O cirurgião que os tirou espirrou silicone na minha parede torácica. Os problemas imunes que estavam apenas aparecendo, se tornaram graves. Eu desenvolvi Lupus Eritematoso Sistêmico. Nervos periféricos se tornaram inflamados e começaram a morrer. Pontos brancos apareceram no meu cérebro e meu lobo frontal começou a encolher. Eu ficava tão cansada que eu quase não conseguia lembrar do meu próprio nome algumas vezes. Problemas de memória se tornaram uma constante diária.

Ainda assim, com tudo isto, meu precioso marido ficou ao meu lado. Ele tem segurado a minha mão através de doenças bizarras e hospitalizações. Ele tem feito várias viagens a salas de emergência, tem ficado comigo para testemunhar os horrores da meningite, que durou seis meses. Cada dia da minha vida eu agradeço a Deus por ter o Dennis. No meio de tanto sofrimento, Deus não estava longe da minha mente. Por muitos anos eu tenho praticado acordar às 4 horas da manhã para rezar, meditar e ler as Escrituras. Algumas vezes a minha mente se torna tão nebulosa por causa da doença que eu quase não consigo focalizar nas minhas orações. Mas eu persevero, cada dia implorando para Jesus por um mestre. Eu raciocinei que somente se Ele me mandasse um mestre, eu poderia entender o que aconteceu e me fortaleceu espiritualmente. Outros tinham mentores espirituais, por que eu não poderia ter um?

Cerca de seis meses depois do meu casamento, eu ouvi alguém falar comigo durante a meditação. Uma grande paz me abraçou com a presença desta voz. Em pouco tempo, eu pude ver esta pessoa. Ele se identificou para mim como o Profeta Moisés. Seu semblante era de luz branca radiante. Ele estava vestido de branco e tinha uma barba longa, branca e longa. Num primeiro momento, eu fiquei assustada. Seria este o Moisés verdadeiro, se era por que havia me escolhido?

Ele continuou a aparecer para mim quase que diariamente começando na primavera de 1991 e continuando por cerca de seis meses. Ele me ensinou sobre assuntos espirituais e me deu o entendimento onde o meu conhecimento não estava completo. Ele me deu mensagens simples sobre Jesus e o Pai Jeová. No fundo do meu coração, eu sabia que era Moisés. A linguagem era tão simples e confortante.

Eu compartilhei a natureza destas mensagens com alguém em São Francisco que tinha uma página na Internet. Ele estava interessado nestas mensagens e as mostrou a outras pessoas. Em pouco tempo, Jesus tomou o lugar de Moisés e estas mensagens começaram a ser passadas para mim como se fossem de um amigo querido próximo. Eu me sentava para conversas longas e escrevia o que Ele dizia. Ele me deu um conhecimento espiritual mais amplo e me deu avisos sobre os tempos de tribulações que viriam para as pessoas se estas não voltassem a viver nas Leis do Amor e dos Dez Mandamentos.

Naqueles tempos, eu era atacada de várias maneiras. Os adoradores do demônio realmente vinham atrás deste homem que colocava as mensagens na Internet. Eles planejaram matá-lo e o escarneciam dia após dia. Outros, que não acreditavam em Jesus, insultavam-me. Estas mensagens eram muito rejeitadas numa parte do país onde existe um grande número de pessoas que estão falidas espiritualmente.

Eu estava muito triste quando Deus me abriu os olhos para me mostrar o culto dos adoradores do demônio tendo orgias com crianças e até sacrificando crianças. Esta história de terror me tomou. Isto me deprimiu. Isto roubava a minha paz dia após dia.

Um dia, eu disse, "Jesus, ensina-me a combater isto. Ensina-me como agir contra esta maldade. Eu não posso mais suportar ver isto dia após dia."

Ele disse, "Filha, prenda-os. Prenda os demônios malvados e os mande embora."

Eu chamei os anjos guardiões com grandes espadas de luz e lhes pedi socorro. Eu fui através do Espírito de Deus e peguei redes gigantes do Espírito e joguei por cima e em volta destes demônios enormes, escuros e feios. Eles lutavam. Eles atacavam com as patas e amaldiçoavam. Eles eram fortes. Eu chamei por socorro, quando eu me senti como uma criança e achava que esta era uma enorme tarefa para alguém tão jovem em assuntos espirituais. Mas os anjos e eu perseveramos. Esta guerra parecia usar cada resto de minha energia, pois eu não sabia como me recuperar com o Espírito Santo como eu sei agora. Eu também não estava no ponto de carregar tanto o Espírito de Deus como eu posso hoje.

Então eu lutei e ganhei batalhas para Deus, mesmo que pequenas. Ainda assim, eu perdi. Eu fui ficando cada vez mais doente. Mas eu ainda perseverava. Alguém me chamava para me falar sobre alguém perdido na adoração do demônio. E eu ia de novo com os anjos lutar contra este mal.

Através dos anos, Deus amplificou a minha visão de detector espíritos malignos. Eu não deixo nenhum lugar para eles na minha casa ou em volta de meu marido ou em volta de mim. Ele os trás regularmente do hospital de saúde mental onde ele trabalha. Todos os dias eu prendo todos os demônios e os mando para as profundezas do Inferno em nome de Jesus Cristo, para ficarem ali até que ele os libere. Para os espíritos desencarnados, eu chamo os Guardiões que os leva para o céu, como eu já contei antes. A guerra espiritual tem sido uma parte intrincada do meu trabalho para Deus. Não é algo que eu desejo, mas eu trabalho desejando a Deus que o meu povo seja libertado.

Pela graça de Deus, eu não toco em uma gota de álcool desde 25 de Abril 1989. Deus me disse que me curaria. O câncer de mama que os médicos mentiram está encolhendo e os problemas com a doença auto-imune está sob controle ao tomar suplementos nutricionais. Jesus me deu informações sobre o que tomar através do correio. Eu coloco a minha fé e confio Nele e minha fé cresce segura enquanto Jesus Se revela constantemente através do Seu Amor, compaixão, fé e perdão. Eu sei com todo o meu coração e minha alma que Jesus é Nosso Salvador de verdade. Ninguém pode profetizar sem conhecê-lo.

Nas páginas seguintes, eu compartilharei as minhas experiências espirituais dadas a mim por Jesus e Nosso Deus Altíssimo, Jeová. Tenho esperança de que as minhas experiências vão ajudar você no seu caminho spiritual.

Quando eu falo de Jesus Cristo, lembre-se de que Ele é Um com o Pai (João 10:30). Ele disse para mim, "Veja-me como O TRONCO e o Pai como A ÁRVORE." Quando Jesus assina as escrituras como: "Eu sou Jesus. Sim, Jeová o Deus Altíssimo, lembre-se que Ele é Aquele com o Pai. Saiba que Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida, (João 14:6), a Luz (João 8:12). Ele é o seu Caminho, sua Verdade, sua Vida. Entenda isto e saiba disto com todo o seu coração. Esta é a natureza de Jesus.

Depois das horríveis lutas com os demônios na Califórnia, eu parei de escrever por um tempo. A sobrevivência virou prioridade, pois a doença se tornou muito intensa. Ainda assim, eu acordava às 4 da manhã para ler as escrituras, rezar e meditar. Meu coração se tornou muito pesado em 1995 e 1996 por causa dos pesos em cima de mim.

Eu estava determinada em ir atrás do médico que fez o implante de silicone em meus seios, por ele ter feito o implante de seios irresponsável que a indústria paga. Mas não era a vontade de Deus que eu estivesse envolvida em tal vingança, processos ou qualquer perda de tempo neste tipo de coisa. Ele fechou todas as portas que eu tentava abrir. Ele fez com que outras pessoas se vingassem de mim. Uma mulher começou a me perseguir e me perseguiu por um ano e meio.

Eu me abrigava mais e mais no Senhor. Eu enchi cada momento de despertar com Ele e Sua majestade, cada respiração e Ele e Seus propósitos não estavam longe de meu coração. Eu desejava mais do que tudo caminhar com humildade e submissão atrás Dele.

Mês a mês minhas preces de manhã eram as mesmas. "Deus, mostre-nos o caminho. Por favor, não nos deixe perdidos na escuridão. Eu imploro ao Senhor, por favor, por favor, ajude-nos!"

Na noite de 9 de Maio de 1997 eu tive um sonho recorrente de estar andando com meu marido através da grande escuridão. Um indivíduo com olhos poderosos, vestido de branco aparecia e reaparecia pela noite, insistindo-me que eu lesse os Salmos. Eu acordava às 3 da manhã e ia para a sala de estar. Eu rezava para Deus e pedia o significado do sonho. Sua amável voz me disse, "Leia o Salmo 18."

Com pressa, eu li estas escrituras, que são um canto para o Senhor, de Davi, no dia em que o Senhor o libertou de seus inimigos e das mãos de Saul. Quando eu cheguei no verso 28, eu sabia que Deus estava falando comigo através do Salmo. O Verso 28 diz: "Iahweh, tu és minha lâmpada; meu Deus, ilumina a minha treva." Quando eu olho para trás e vejo isto eu entendo as palavras fortemente proféticas. Eu me sinto muito humilde pelo amor de Deus.

Em 15 de Maio de 1997, eu sonhei que estava viajando, tentando voltar para uma escola onde eu havia estado antes. Eu me perdi e me encontrei numa estrada estreita em uma montanha, com suas curvas nos lados da montanha. Os faróis do meu carro não funcionavam. Eu não estava usando meus óculos e não conseguia ver nada. Eu rezei para Deus fervorosamente para que Ele me ajudasse a achar o caminho. (Este sonho me empurrava para eu deixar todo tipo de dependência na montanha escura do ego e alcançar Deus. Os óculos terrenos não podiam me ajudar nesta jornada. É preciso um salto de fé para sair da montanha escura para a Montanha de Deus. Até este momento, eu não tinha idéia do grande papel que a sua Montanha Sagrada fazia em receber estas profecias que cresciam no Espírito de Deus. Este sonho é tão importante ao me levar a níveis tão altos em Deus que eu nunca imaginaria isto há alguns anos atrás.)

De repente, eu estava no pé de uma montanha no meio de muita luz. Eu encontrei duas crianças e perguntei a elas se elas podiam me dizer onde a escola estava localizada.

Pelas suas instruções, eu encontrei a escola sem problemas. (Esta é a escola dos profetas.) A escola está situada no topo de uma montanha, iluminada e brilhando com uma luz branca e dourada.

Uma outra pessoa que não estava viajando comigo encontrou a escola ao mesmo tempo. Ambos fomos cumprimentados por alguém da escola, que estava vestido de branco. Eu contei para aquele sujeito vestido de branco sobre a experiência de estar perdida na montanha escura. Enquanto estávamos na montanha iluminada, esta pessoa de vestida de branco nos alimentou com o que parecia ser um sorvete. (Isto não era sorvete, era algo com a mesma consistência.)

Depois de comer, eu me virei para olhar ao longe através dos vales e montanhas distantes. Eu pude ler o que estava escrito nos montes lá longe, apesar de uma poeira se formar perto do topo das montanhas. No sonho, eu fiquei maravilhada que eu tinha visão 20/20. (Eu ganharia mais capacidade de enxergar! Como nunca havia tido antes!)

Nas primeiras horas da manhã de 16 de Maio de 1997, Jesus falou comigo em meditação e disse: "Você receberá muitas visões. Não tenha medo. Ande comigo." (Neste momento, não havia como eu saber quantas visões eu receberia. Mas quando você lê e estuda o que Ele me deu, você se chocaria com a profundidade destas palavras.)

Desde então, eu tenho tido muitas visões de fato. Eu me recordo de uma passagem do Eclesiastes 1:18 que diz "Muita sabedoria, muito desgosto; quanto mais conhecimento, mais sofrimento."

Minha tristeza é muito grande por uma pessoa que está a dormir, sem estar espiritualmente acordada. Logo, guerra e destruição ocorrerão nos EUA e em quase todo o mundo.

O que se segue é uma parte extraída de uma das minhas visões mais preocupantes, uma das primeiras visões.

Na manhã de 24 de Maio de 1997, eu vi Satanás acima da Terra. Ele tinha barbantes como aqueles de marionetes amarrados nos líderes do mundo, mesmo e especialmente no líder dos EUA. Um dos barbantes mais escuros e pesados estava amarrado ao Congresso Americano, outro na ONU, um na Rússia, um na Alemanha, um à China, um ao México, um à África e um à Aliança Árabe. Estes eram barbantes grandes, escuros e pesados.

Então Jesus disse "Olhe!"

Eu olhei e vi uma nuvem, vermelha e ruim, emergindo da Rússia, riscando e nublando o Oceano Atlântico e indo para o fundo do mar. Submarinos escuros se agrupavam em volta dos EUA e escondiam-se silenciosamente nas profundezas das águas dos oceanos. Eu vi um homem numa torre de vigia e ouvi-lhe dizer, "Nós estamos prontos."

As letras abaixo da torre de vigia eram: "USSR." O soldado na torre de vigia estava vigiando os EUA.

Enquanto ele vigiava, nuvens negras de tempestade se agrupavam nos EUA e Satanás puxava as cordas espessas da marionete da Rússia, Alemanha, China, México, Aliança Árabe e ONU. Elas vinham juntas formando uma linha contra os EUA.

Então, Jesus disse, "Olhe!"

Eu olhei para uma mãe carregando um novo bebê. Nos pés da mãe e nos punhos haviam correntes. As correntes não tinham fechaduras; ela poderia se soltar se ela quisesse. Mas a mulher ainda estava presa, em cumplicidade. O bebê estava chorando por leite, mas os seis da mãe estavam secos.

A mãe era uma gigante entre as mães e ficava em pé, mas seus joelhos eram como de uma marionete; suas pernas eram de madeira. Seus olhos eram cegos com uma película pesada, escura e onde deveriam existir as pupilas e a íris, estas não existiam. Ela tinha olhos de um mendigo cego. Em seu peito estava a bandeira dos EUA. O bebê choramingava.

Então eu ouvi a voz de Jesus dizer, "E, oh, Olhe!"

De repente, apareceu uma forca do céu. Quando eu olhei, eu pude enxergar que esta estava amarrada naqueles com ligações pesadas e escuras ao mestre das marionetes. Estes barbantes se conectavam com a Rússia, Alemanha, China, México, Aliança Árabe e ONU. Eles controlavam a forca. A forca estava encaixada confortavelmente em volta do pescoço da mulher. Estava sendo apertada e os olhos da mulher quase que saíram para fora. Quando isto aconteceu, as pupilas e íris da mulher retornaram. Ela estava perto da morte. Ela deixou o bebê cair e ele quebrou em 1000 pedaços, eu vi que era feito de barro.

Então Jesus disse, "Olhe!"

E, como um ladrão na noite, os submarinos começaram a atirar nos EUA. Estas são as áreas que eu vi sendo atingidas pelas bombas, mas não necessariamente nesta ordem: 1.Los Angeles; 2 Um local deserto; 3 Dallas; 4 Houston; 5 Little Rock; 6 Minnesota; 7 Cidade de Nova Iorque; 8 Mobile; 9Chicago; 10 Cincinnati; 11Pennsylvania; 12. St. Louis; 13 Washington DC (três vezes); 14 Atlanta (uma fracassa no ar, mas outras atingem) 15Virginia; 16 Flórida (vários locais); 17New Orleans; 18 Ohio, again; 19Kentucky; 20 Tennessee (dois lugares); 21Michigan (quatro lugares); 22 Cidade de Oklahoma; 23 Cheyenne, Wyoming; 24 Alaska; 25 Hawaii. Estes não são todos os lugares, mas são a maioria.

A mulher caiu e um grande número de pessoas está caído morto e morrendo. Em muitas áreas, as bombas mataram apenas as pessoas e deixaram os edifícios. Os malfeitores tinham planos para os maiores edifícios da Babilônia. Mas, o solo e a água estavam contaminados e a comida não era apropriada para comer.

Quando este país cair, outros cairão como que em seguida. Todos vão lutar entre si até que Lúcifer se depare com Jesus Cristo. Mas Lúcifer perderá e todos aqueles que o seguirem. A punição para aqueles que o seguirem será severa.

A visão acima reforça outra mais curta e menos detalhada que eu tive em 16 de Maio de 1997. Naquela visão, eu vi a Guerra nuclear acontecer em 1998. Eu vi fogo branco sendo atirado através da Cidade de Nova Iorque. Fora dali há neve no chão.

Muitas visões subseqüentes mostram Guerra começando nos EUA em meados de Dezembro de 1998. Um colapso econômico, em uma visão de 1991, vai preceder esta Guerra.

Um dia no começo do verão de 1997, eu estava fora no jardim debaixo de uma sombra rezando. Enquanto eu rezava um anjo radiante vestido de branco apareceu para mim. O anjo disse, "Siga-me."

Quando eu comecei a seguir o anjo, eu me encontrei em espírito escalando uma montanha muito alta. Finalmente, eu cheguei ao topo desta montanha. Neste ponto eu sabia que esta não era uma montanha qualquer. Ela brilhava radiante e a experiência era cheia de luz e alegria. Algumas semanas depois eu corri através de uma passagem de Isaías 2:2.

"Dias virão nos últimos dias, em que o monte da casa de Iahweh será estabelecido no topo mais alto das montanhas
e se alçará acima de todos os outeiros.
A ela acorrerão todas as Nações;"

O que eu não percebi no jardim naquele dia de verão foi que esta jornada à Montanha de Deus estava apenas no começo de uma longa série de jornadas para lá. A cada dia que passa, eu me torno mais humilde pelas verdades dadas por Nosso Lindo Senhor das alturas desta Montanha. Estas jornadas têm trazido grande luz na vida de uma pessoa simples cujo maior desejo é servir a Deus.

No começo do verão de 1997, meu querido irmão rezou do fundo do coração dele que Deus me desse o dom de falar na língua de Deus. Deus respondeu às suas preces. Em meio à beleza desta lingual divina e nas asas do seu Espírito Santo, Deus me leva regularmente às Alturas de Sua Montanha onde Ele me alimenta.

Nestas páginas que se seguem, você lerá muito sobre o seu destino. As verdades celestiais divulgadas para você através destas páginas vão mudar para sempre a vida de muitos.

Embrulhado como um presente no Amor de Jesus,
Linda Newkirk

PORTUGAL     LIVRO I     LIVRO II     LIVRO III     LIVRO IV     LIVRO VII    LIVRO VIII    LIVRO IX